NOVA YORK – PASSEIOS -PRIMEIRA PARTE

É muito difícil explicar como é  Nova York levei um bom tempo para  escrever este post sobre quais as sensações, as imagens que esta cidade me causou e por várias vezes apaguei o que havia escrito, pois não conseguia descrever corretamente tais sentimentos.

Pensei em escrever sobre as diversas etnias que vivem por lá e que a todo o momento se cruzam com a gente  pela cidade, nos metrôs, tornando a cidade singular e o  quanto é interessante  observar essa relação e a convivência harmoniosa dos nova-iorquinos com estas diferentes culturas. De como é bom andar nas ruas de Nova York, conviver com diferentes pessoas sem se preocupar com o medo, com a violência.

Uma convivência social que deveríamos ter aqui em São Paulo e não temos, vivemos em microcosmos, do carro para o trabalho, do trabalho para o carro, do carro para o estacionamento do teatro, do teatro para casa, da casa para….. e assim por diante, não conseguimos andar no centro da cidade sem nos sentirmos apavorados, só temos essa circulação maior dos corpos humanos , desse maior contato entre eles no evento que acontece uma vez ao ano em São Paulo chamado ” Virada Cultural” ,  um convívio social intenso com as pessoas e a cidade, assim como sentimos todos os dias em Nova York.

Pensei também em escrever sobre o encanto causado em mim, em especial Manhattan, a maravilhosa e estranha sensação de já ter estado lá sem nunca ter ido, como se já a conhecesse, como se já estivesse andado em suas ruas, em seus museus. Senti-me tão familiarizada com o lugar que achei muito estranho.

De tanto pensar, percebi que já havia visto sim, tudo aquilo!

Nos  filmes, nas músicas, no teatro, nas artes… então posso dizer que Nova York para mim esta  pautado nas artes, acredito que  isso que a deixa  tão fascinante e ao mesmo tempo enigmático para quem a vê pela primeira vez de corpo e alma.

Então ninguém melhor que Woody Allen para me ajudar a escrever sobre esta maravilhosa cidade. Primeiro porque Woody Allen é um verdadeiro nova-iorquino, que por meio dos seus filmes faz uma belíssima declaração  de amor à cidade no filme “Manhattan”, uma das obras-primas de sua carreira e um dos seus filmes mais comoventes e sensíveis que assisti. E é por meio da trilha sonora de Woody Allen,  grande gênio do cinema e nova-iorquino por excelência,  que vou falar de Nova York, e do encanto que esta cidade me causou! Escutem a trilha sonora do filme, enquanto leia este post, vocês irão entrar no clima!

 

Começo falando de Ponte  do Brooklyn,como vocês podem observar na primeira foto do post é  a apresentação do filme de Wood Alen ” Manhattan”, no qual  aparece um casal sentado em frente a ponte,  localizada sobre o East River em Nova York. Uma das mais belas vista de Manhattan,  a chamada ponte  do Brooklyn que uniu duas antigas cidades  a Nova York, Manhattan e Brooklyn, passear sobre a ponte é tranquilo, só tomar muito cuidado com as bicicletas, que não gostam quando você invade seu espaço para tirar fotos, eles passam em cima sem piedade. A duração da travessia acontece mais ou menos em 1 hora, mas vale muito a pena, no caminho tem  bancos para descansar e continuar a caminhada .

Sua contrução se iniciou em 1869, mas a ponte só foi aberta para uso 14 anos depois. Ao ser finalizada era a maior ponte de suspensão do mundo, e a primeira a utilizar-se de cabos, suas imensas torres de suporte já foram as estruturas mais altas de toda a cidade de Nova Iorque.

No final da ponte tem  placas  indicando o caminho para ir para baixo da ponte, assim você  conhecerá um pouco o bairro do Brooklin, passear na praça, tambem é muito interessante, deste lugar você consegue ver toda a ponte.

Museu de História Natural, aquele do filme ” Uma noite no Museu” ou o local que  foi  gravada as cenas de  Ross e Rachel do seríado Friends. 

É interessante visitar,  mas nada exageradamente emocionante. Não gosto de ver bichos empalhados, no museu eles mostram um exemplar de cada  animal ja morto em seu habitat natural. A técnica utilizada  é chamada de taxidermia , no qual é realizada em animais mortos naturalmente, não existindo assim uma caça predatória para o procedimento, até ai tudo bem, a visão fica mais aceitável.

Muito  interessante é a parte dos dinossauros, mais de 600 espécies de dinossauros reproduzidas em várias salas, 85% delas fósseis autênticos.

Pagando uma taxa a mais você tem direito ao planetário,  o Rose Center for Earth and Space. Um dos  mais avançado do mundo, incorpora pela primeira vez  a realidade virtual. Ali é possível assistir a uma recriação do que teria sido o início do universo no Big Bang Theater. Você pode sair do museu, almoçar e voltar sem ter que pagar novamente.

Fica na 79th Street, esquina Central Park West

Woody Allen se encontra com os amigos neste bairro Upper East, muito bem localizado para tocar jazz, todas as segundas feiras. O bairro é muito interessante  para caminhar a noite, comer um pedaço de pizza e ver as grandiosas lojas de griffe mais famosas do mundo, um ótimo passeio.

Agora pare a música Rapsódia in Blue que estava ouvindo para apreciar Woody Allen tocando no hotel da qual falei, isso é muito Nova York, jazz do melhor!

A estátua da liberdade , imperdível também, para ir  siga até   Staten Island Ferry Boat  demora 30 mintuos na ida e 30 minutos na volta, passagem é gratuita , as embarcações saem todos os dias (menos segunda de manhã), de 30 em 30 ou de 20 em 20 minutos no final da tarde só entrar na fila que por sinal é gigantesca, mas não se preocupem  o ferry boat é imenso, cabe muitas pessoas, só fique esperto e dê  uma corridinha discreta  para pegar uma posição boa para as fotos, ao entrar no barco vá direto para o lado direito, no qual você ficará de olho estátua o tempo todo.a  vista é emocionante!

Há a possibilidade de comprar um ticket que te leve mais proximo da Estatua da liberdade e a Ellis Island. Para isso, os tickets precisam ser comprados com antecedência, online no site da statue cruises StatueCruises, principalmente se você quiser subir até o topo da estatua(crown). Os preços são variados e para informações mais precisas, visite o site. pelo que eu pude ouvir das pessoas é interessante ver as estruturas de ferro por dentro da estátua, mas você não fica de frente com ela , sobe sobe todos os 354 degraus e é frustante não vê-la de frente estando tão perto, mas vá em frente se tiver interesse, as dicas estão nos sites.

Ferry

Fim da primeira parte!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s