Chile – Gastronomia

A gastronomia esta ligada a cultura ,  ligada a memória, cheiro,  sabor, ao momento em que ela foi apreciada.

No Chile tivemos a oportunidade de apreciar diferentes pratos  caseiros, feito por Ana , minha irmã , hoje meio chilena e meio brasileira, uma boa mistura. Ana nos preparou  diferentes pratos, que quero compartilhar com vocês.

Em primeiro lugar visitamos a feira de rua no bairro em que moram,  muito interessante, uma variedade enorme de frutas, legumes, assim como no Brasil, me senti em casa. A diferença esta nas frutas das regiões mais frias, cerejas, chirimoya, pepino doce, pinas (abacaxis).

Primeiro prato do dia  “Salmão chileno”, o sabor é inigualável, dizem que é o melhor salmão do mundo….esse com certeza foi! O chile esta em uma posição geográfica que favorece a pesca, por este motivo consomem muitos frutos do mar e o preço é muito acessível o salmão que vem dos rios do sul também tem um bom preço, além de ser muito saboroso.

O vinho, variedade, qualidade e preço fora do comum, todas as refeições nos servíamos de uma belíssima taça de vinho, aliás todas as noites era uma grande rodada de vinho e pisco sour, uma aguardente destilada de uvas moscatel com elevado teor de açúcar, cultivadas nos vales irrigados do norte do Chile e também no Peru, a uma briga entre eles, os peruanos não gostam dos chilenos porque dizem que o pisco é chileno e vise versa, o que eu sei é que uma bebida forte, com alto grau de teor alcoólico existindo varias maneiras de prepara-lo , como um drinque ( suco de limão, açúcar, clara de ovo) ou mesmo como uma caipirinha brasileira  ( limão e açúcar) , meu cunhado,  bom chileno que é toma puro para sentir o sabor da uva.

Pratos com carne geralmente vem batata, uma verdura crua , tipo salada….

Choripán, um sanduíche típico do chile , é feito com  uma linguiça grossa ( o sabor é parecido com salcicha do Brasil)  , come no pão com vinagrete.

Punta de Picaña de lorno – é a nossa maminha, comemos com pão,  delicioso! Olha só a carinha de agrado das crianças….

Humita milho moído na panela  com cebolas picada s e folhas de manjericão ( tipo pamonha do Brasil ).

Em Valparaiso, ao lado do elevador que leva para a parte alta da cidade comemos batatas-fritas, a melhor, vale a pena experimentar!

Pudim de coco –   com calda

Cazuela de vacuno  sobre costillas  ( carne de vaca) batata, milho, abobora, uma sopa muito saborosa e rica, aquece muito ,  tomamos quando voltamos das cordilheiras, foi a melhor sopa que tomei!

Outra sopa….

Empanada  de queijo – não se compara com as nossas, a massa é bem diferente. No Brasil encontramos uma bem parecida na vila madalena que por sinal é de um chileno ”  Empanada bar”.

Abacate, como os chilenos apreciam esta  fruta, comem com tudo, até no lanche…….

O chef que nos serviu…

Curiosidade….

Este saco de salgadinho ficou assim ao subir as cordilheiras devido a baixa pressão atmosférica …

Anúncios

Chile- Cordilheiras dos Andes

Subir as cordilheiras tende a ser um passeio muito delicado , vivencia-la não é somente se preparar para o frio rigoroso , onde a temperatura abaixa bruscamente( 1° C a cada 100 metros), ou se preocupar com a respiração pois a baixa pressão atmosférica, dificulta e muito a troca de CO2 e O2 do sangue e como bons estudantes que fomos, sabemos que isso quer dizer, não dá para respirar, mas descobri também que depende muito do seu organismo, da sua facilidade de se aclimatar. Portanto subir as Cordilheiras dos Andes requer alguns cuidados , algumas preparações , mas cada um vai sentir no corpo diferentes sensações , aclimatar ou não , só estando lá para saber, portanto não há dicas para situações como esta, apenas recomendo alguns cuidados para que a viagem seja um sucesso!

Primeiro , se prepare para o frio, é congelante, luvas são indispensáveis, quando a temperatura esta muito baixa o contato com o gelo faz com que suas mãos queimem causando uma dor insuportável, rapidamente passa , mas é assustador e nada agradável. Na estrada subindo as cordilheiras você encontra várias pessoas vendendo acessórios, comprei luvas para as crianças , próprias para o gelo , de material plástico por fora não molhando e lã por dentro aquecendo, pechinchamos como sempre e o preço foi bem acessível, as crianças puderam brincar a vontade!

Nesta foto , minha filha queimou suas mãos porque havia tirado as luvas.

Roupas próprias para andar na neve são caras e se não estiverem dispostos a gastar muito e encher o guarda-roupa de coisas que não vão usar tão cedo, aconselho ir a um bom brejo, no centro de Santiago tem vários, fui na rua Bandera que fica no Centro , próximo a Plaza das armas, você vai encontrar mil acessórios , casacos bem quentes, de marcas famosas e com preços muito acessíveis, encontramos uma bota australiana ugg semi nova para não dizer nova, com etiqueta por 30 dólares, casacos novos por 20 dólares,só garimpar que vocês vão encontrar muitas coisas interessantes e baratas. Para a neve, o ideal são casacos impermeáveis (nylon ou tecidos que não deixam a chuva entrar), de preferência resistentes também ao vento. Não se esqueça de comprar somente o indispensável, porque esse tipo de roupa pesa na mala e a volta há limite de bagagem no avião. É possível alugar roupas próprias e equipamentos de esqui no local mesmo, mas vai preparado , não é muito barato.

Botas, indispensáveis! Precisam ser próprias para a neve, é um acessório muito importante porque a neve vira água e molha tênis, sapatos de pano,botas de pano, e ficar com os pés molhados nesse passeio não é nada agradável, alias é uma situação que acaba com qualquer passeio. Não esqueça os óculos de sol, impossível enxergar sem ele no meio de tanto branco.

Farellones : Quem estiver sem carro a melhor opção é o microônibus, o ponto de saída desses ônibus em Santiago é avenida Apoquindo, a quatro quadras da estação de metrô Escuela Militar (última estação da Línea 1, vermelha). Saídas diárias, das 7h30 às 21h, outras empresas que fazem o serviço (do Forum SnowBrasil), a Skitotal é uma das mais conhecidas (custa 12000 pesos, cerca de R$41 reais, ida e volta, por pessoa) e saem de Apoquindo 4900 (metrô Hernando de Magallanes), entre 8:00am – 8:30am

Na subida é obrigatório o uso das correntes nos pneus dos carros , ônibus e vans, você pode alugá-las por um preço mais acessível no começo da subida, a colocação das correntes acorre mais adiante nos lugares sinalizados, há vários homens ao longo da subida disponíveis para colocá-las, pagando é claro, o mesmo acontece na descida , aproveite esse momento de pausa para tirar belas fotos no meio das montanhas, demora um pouco a colocação das correntes.

Depois de colocadas o som das rodas fica muito estranho, parece que vai sair, fica pulando mas , com o tempo você se acostuma e esquece , há malucos que tiram as correntes na hora errada, derrapando e causando acidentes e isto gera filas enormes na subida, um carro atras do outro, mas tudo é válido, só de estar nos Andes…

Alugar equipamentos não é barato, só equipamento para adulto custa $34 e para criança $28 , mas é muito bacana alugar , só pra se divertir, mesmo não sabendo esquiar. Em Farellones tem uma área segura para crianças e adultos brincarem , o famoso “esqui-bunda”, lá não há problemas de cair, porque todos caem!

A alta temporada de esqui em Farellones começa em 8 de julho e vai até 28 de julho, portanto muitos turistas, tornando tudo muito caro com filas enormes , aconselho prepararem lanches, bebidas quentes em garrafas térmicas e um bom vinho para brindar a chegada ao alto das cordilheiras, nos supermercados os preços são absurdamente baratos e a variedade de vinho bom nem se fala.

<
Brindamos pela chegada, nunca imaginei que poderiamos um dia estar ali, naquele esplendor de neves e montanhas, um silêncio tranquilizador, que privilégio!

Aproveitem o máximo só não deixem para ir embora no ultimo horário , a nevasca é assustadora, a paisagem muda, tudo começa a sumir, a pista de esqui, as lojinhas os carros ficam lotados de gelo, a temperatura cai derrepentemente, parece que o mundo vai acabar, tudo que você vê é uma massa densa de nebrina.


Manoel de Barros “A poesia aí nasce da observação de uma paisagem comum, a da Cordilheira dos Andes, distante e perdida no horizonte, capaz, no entanto, de provocar a inspiração poética, que não advém como uma iluminação e sim como uma iluminura (como um pequeno ornato).”

Assistam o vídeo ao som de Violeta Parra…..


http://www.youtube.com/watch?v=Lc78Oj6y69w&feature=plcp

Chile – Inesquecível

Chegamos em Santiago do Chile, um frio intenso só podia, estávamos em julho, ficamos apenas cinco dias. Passear em Santiago do Chile tem um toque muito especial para mim, tenho pessoas muita queridas morando por lá e visitá-los é sempre um grande prazer.

Santiago possuem belas paisagens, que mistura o velho ao novo, dando um aspecto europeu a cidade, as cores das folhagens, a maneira que as pessoas se vestem, a arquitetura e o frio.

A cidade esta envolta pelas paisagens da Cordilheira dos Andes, que a torna a ainda mais deslumbrante e pelos ares de artistas tão fantásticos , como Gabriela Mistral, Pablo Neruda, Violeta Parra , Toesca, e tantos outros.

Todo esse encantamento se choca com a policia chilena, os tais ” carabineiros” como são chamados . A maneira como se vestem , como abordam os turistas, me remeteu ao autoritarismo do regime pinochetista. É verdadeiramente assustador saber que este sentimento é nada em vista do que esse povo passou durante muito tempo mas, em contra partida ,os estudantes jovens me pareceram bastante politizados, enfrentando o regime de peito aberto, as escolas fechadas por estudantes chilenos e funcionários do sistema educacional realizando manifestações e protestos contra o governo, ” ” El Paro”, a fim de obterem uma reforma no setor educacional. No mês em que estivemos lá , julho, pudemos acompanhar várias manifestações nas ruas.

Alugamos pela internet um carro e assim logo que chegamos ao aeroporto de Pudahuel,o carro já estava disponível,tínhamos a ideia de visitar vários pontos turísticos , Cordilheira, Vina Del Mar, Valparaizo, Vinículas , e conhecer a cidade de Santiago, por isso o carro era fundamental.

Ficamos hospedado em um hostel localizado no centro de Santiago” Moai Viagero” , no bairro República , na rua Toesca . Este hostel fica bem ao lado do da guarda civil, chamados pelos chilenos de carabineiros.

O Hostel era simples, porém bem acolhedor , nos sentimos muito a vontade, uma turma jovem e simpática, apesar de não ter aquecimento interno , eles dispunham de cobertas e chuveiros bem quentes, que nos deixavam aquecidos a noite. Incluso o café da manhã, servido em bandejas individuais, salada de frutas, ovos , pães, geléia, manteiga e um bom café.

Era administrado por jovens, todos homens, então a limpeza não era lá muito importante para eles, mas na medida do possível o hostel era organizado. Como já havia dito em outros post, viajar é sempre uma experiência única, os lugares, as pessoas e a cultura.

O trânsito na cidade fluía tranquilamente, ruas estreitas no centro e largas nos bairros,praças por todos os lugares.Não andamos de metrô, mas podemos ver no mapa que há varias estações, facilitando o acesso de turistas sem carro.

Em alguns prédios ainda a marcas dos terremotos sofrido, imagens impressionantes.

No centro é preciso muito cuidado com bolsas, máquinas fotográficas, isto nos foi avisado pelos próprios moradores da cidade, por isso quando forem , sejam discretos, dificil com tantas belezas a serem fotográfadas.

Como já havia dito a cidade é encantadora , começamos a conhece-la por Cerro Santa Lucia, um mirante que fica no centro de Santiago, na avenida Libertador Bernardo O’Higgins. Um espaço com construções antigas, o lugar parece que foi feito para namorados, o clima é bem romântico e do alto do morro você tem uma visão panorâmica da capital do Chile com a cadeia de montanhas dos Andes ao fundo.O passeio é gratuito e funciona das 09:00 hs até 19:00 hs.

Bem próximo ao passeio, no mesmo bairro encontra-se escultura El Caballo Gordo, de Botero , escultura de bronze feito e doado em 1992 pelo Mestre, do lado de fora do Museu de Arte Contemporânea MAC imperdível! Além de admirar a obra de Fernando Botero você pode ir ao ao museu que funciona de 3ª a domingo das 10h às 17h30 e fins de semana até as 19h.

O lugar como disse , é maravilhoso!

Após ter visto as cordilheiras do Cerro de Santa Lucia, ficamos apaixonados e a partir dai essa era a nossa meta……..